Coração de Jesus, uma porta aberta

quinta-feira, 27 de novembro de 2014



Coração de Jesus, uma porta aberta

Refúgio e abrigo para todos os pecadores

“Chegando, porém, a vez de Jesus, como o vissem já morto, não lhe quebraram as pernas, mas um dos soldados abriu-lhe o lado com uma lança e, imediatamente, saiu sangue e água” (João 19, 33-34).

Jesus foi transpassado quando já estava morto. Seu Corpo estava frio e rígido. Diferente de um corpo que está vivo. Tocando nosso corpo percebemos o calor que dele sai e que não está rígido. Quando se corta um cadáver ele não volta a “colar-se”. Os cortes “não fecham”. O que foi aberto, assim fica. Se são forçadas, as partes até se encostam, mas não “colam” mais. Cadáver aberto fica aberto para sempre.

Jesus quis que Seu Coração fosse aberto, justamente, depois que Ele estava morto. Assim não poderia fechar-se mais. Depois de transpassado pela lança continuou e continuará para sempre aberto. É uma porta aberta. Casa com porta aberta é como se não tivesse porta. Quem quiser entra e sai na hora que bem entender. Casa com porta aberta passa a ser casa de todos, indistintamente.

Qualquer pessoa pode ir a uma praia. São tantas! A praia é uma “porta aberta”. Vai quem quer e quando quer. Assim também é o Coração de Jesus: praia de todos. Está aberto para todos, indistintamente. Porta aberta que nunca mais se fechou. Refúgio e abrigo para todos os pecadores.

Nossa sociedade, a cada dia, ergue muros mais altos e reforça a segurança para que não entrem “pessoas de má índole”. Jesus adotou outra “política”: “Quando eu for levantado da terra, atraírei todos os homens a mim” (João 12, 32). E disse mais “Eu não vim chamar os justos, mas os pecadores” (Mateus 9,13).

Que bom que esta é a “estratégia” de Jesus Cristo: “Olharão para aquele que transpassaram” (cf. João 19, 37). Ele nos manda olhar para o Transpassado. No perigo, na chuva, na agonia, na aflição, no desespero… que bom encontrar uma porta aberta. Melhor ainda: a porta de um Amigo. Ainda melhor se a porta é a do Coração do próprio Deus, que morreu na cruz por todos nós.

“Aproximemo-nos, pois, confiadamente do trono da graça, a fim de alcançar misericórdia e achar a graça de um auxílio oportuno” (Hebreus 4, 16). Entremos como miseráveis pecadores nesta casa e sairemos de lá com a graça de termos cada dia mais um coração semelhante ao de Jesus. Quem entra e permanece nessa casa, certamente tem seu coração curado e renova as suas forças para amar sempre mais intensa e efetivamente aos irmãos.

Coragem, adentremos! A porta está aberta. O Dono está nos convidando e atraindo!

Padre Alir Sanagiotto, SCJ
Fonte CN
Compartilhar
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial
 
Copyright © 2014-2017. Comunidade Adonay
Templates Template Blogger